A Internet apóia esta mãe que proibiu seu irmão e SIL de ver sua filha depois que eles jogaram fora seu remédio

É uma sensação completamente horrível quando você percebe que alguém não acha que você é um pai bom o suficiente. Claro, muitas pessoas têm abordagens muito diferentes para criar seus filhos. Mas você esperaria pelo menos que seus familiares mais próximos e queridos o protegessem. Quando eles não confiam em você, no entanto, há muito espaço para tensão.

Um redditor procurou a comunidade AITA para obter seu veredicto sobre se ela estava errada ou não em proibir seu irmão e sua cunhada de ver sua filha de 4 anos. Tudo veio à tona depois que cuidaram dela enquanto ela estava doente e decidiram não apenas jogar fora os remédios, mas também as roupas. Leia a história completa, nas próprias palavras do OP, bem como para ver como a internet reagiu a uma reviravolta tão estranha.

Pode ser incrivelmente difícil para pais em recuperação reconstruir um senso de confiança entre seus familiares

Créditos da imagem: Andrea Piacquadio (não é a foto real)

Uma mãe, que estava sóbria há 2 anos na época, compartilhou o que finalmente a fez proibir seu irmão e cunhada de ver sua filha novamente

Tudo começou quando a menina adoeceu enquanto a mãe estava ocupada com a escola. Ela pediu ao casal para tomar conta de sua sobrinha

Quando a mulher voltou para casa, ficou chocada ao perceber o que seu irmão e SIL haviam feito.

Créditos da imagem: Sean Freese (não é a foto real)

Créditos da imagem: u/aitastomachflu

Infelizmente, a conta da autora do post foi suspensa pelo Reddit por um motivo desconhecido, então não conseguimos entrar em contato com ela. Em seu post, a redditor explica que recentemente ficou sóbria. Por um tempo, seu irmão e sua cunhada foram os únicos a cuidar de sua filha.

No entanto, depois de ficar sóbrio, o OP sentiu que os dois se ressentiam dela por ter tirado o filho deles. Além do mais, eles até contataram o Serviço de Proteção à Criança várias vezes, explicando que não confiam nela. Parece que o casal sente que sabe o que é melhor para a filha do OP.

Isso levou a uma situação muito estranha há algum tempo. A autora da postagem pediu a seu irmão e SIL para cuidar de sua filha enquanto ela tinha assuntos relacionados à escola para resolver. Na época, a menina havia contraído um problema estomacal desagradável e recebeu alguns remédios.

Quando a mãe voltou para casa, ela descobriu que seus parentes haviam jogado fora o remédio de sua filha, assim como… suas roupas.

“Eles também sentiram que as roupas dela não eram boas o suficiente para ela, então as deram ao vizinho para a venda de garagem e compraram roupas novas para ela, o que significa que provavelmente a levaram para fazer compras quando ela estava doente e deveria estar descansando”, disse o informante. redditor escreve. Ela então decidiu que ela e sua filha não iriam mais visitá-los. Ela também revelou no Reddit que tinha planos de se mudar para muito, muito longe.

Panda Entediado procurou Kenny Dunn, um alcoólatra em recuperação que está sóbrio há mais de 6 anos, para algumas dicas sobre como recuperar a confiança e estabelecer limites saudáveis. Ele teve a gentileza de compartilhar seus pensamentos sobre a situação, com base em sua experiência pessoal. Kenny tem documentado consistentemente sua sobriedade e já apresentamos sua jornada no Bored Panda antes.

“Quando fiquei sóbrio, minha família encarou isso com certo ceticismo. Eu tinha ‘ficado sóbrio’ muitas vezes, com e sem um juramento solene. Com isso, foram muitas recaídas e promessas quebradas. Embora isso tenha me chateado no início, tive que aceitar que passei os últimos anos partindo seus corações. Eles estavam certos em ser céticos”, ele nos disse.

“A família do alcoólatra e/ou viciado costuma se decepcionar. Nos primeiros seis meses, eu ia a uma reunião quase todos os dias e frequentemente passava tempo com pessoas em recuperação de longo prazo que estavam me ajudando a aprender como viver essa nova vida. Foi só quando já estava no primeiro ano que minha família percebeu que eu falava sério, porque eles mesmos haviam testemunhado a verdadeira mudança em meu comportamento e meu compromisso com a mudança. Quando minha família começou a ver verdadeiramente que eu colocava suas necessidades em primeiro lugar, para variar, todos nós conseguimos nos curar juntos”, Kenny explicou que o tempo e o esforço consistente ajudaram a reconstruir esse senso de confiança.

Também estávamos interessados ​​em obter a opinião de Kenny sobre o estabelecimento de limites saudáveis ​​entre alguém que é um alcoólatra em recuperação e seus familiares, quando se trata de decisões parentais. Ele disse que esta é uma área difícil de comentar.

“É preciso muito comportamento questionável do alcoólatra/viciado para que os tribunais intervenham e tenham alguém como guardião de seus filhos. Como um alcoólatra em recuperação, aprendi muito cedo que precisava aceitar as coisas que fiz enquanto bebia pelo que eram, corrigi-las se pudesse e fazer um esforço honesto para não fazer essas coisas. de novo”, disse ele.

“Dito isto, sou o pai do meu filho e sou eu quem toma as decisões sobre o seu bem-estar. Se eu estivesse nessa situação, teria pedido conselho a outros alcoólicos. É provável que eles me digam algo como ‘sim e você teve seu filho levado embora porque você era um pai bêbado e horrível, eles tiveram que criar seu filho para você por causa de seu comportamento, é claro, eles acham que sabem melhor do que você.’”

Kenny explicou que, naquele momento, seria melhor para a alcoólatra em recuperação do post do Reddit ter uma “discussão franca e aberta” com o irmão e a cunhada. “Primeiro conversamos sobre o fato de que sim, eu certamente passei por um período em que fui um pai ruim e eles aproveitaram a ocasião em que eu não poderia fazer isso sozinho. Mas como pai em recuperação, preciso de um grau de respeito e honra que agora sou capaz de cuidar de meu filho de maneira eficaz e sem intervenção. Se você tiver um problema com meu estilo parental, estou aberto para ouvir seus pensamentos e seguir em frente ”, explicou ele como abordaria as coisas.

“Nós, alcoólatras/viciados, devemos ter em mente que nos dias em que estávamos usando e não controlávamos, muitas vezes outras pessoas tinham que intervir e cuidar de nós e de nossas famílias. Simplesmente estar limpo/sóbrio não nos absolve automaticamente de nosso comportamento anterior. Para ser um pai eficaz em recuperação, tive que levar essa realidade a sério e isso me serviu bem.”

A mãe compartilhou mais algumas informações nos comentários de seu post

É absolutamente claro que o casal não confia na mãe, que escreveu o post no Reddit, para fazer qualquer coisa certa. Boas intenções? Possivelmente. Abordagem humilhante? Com certeza. Segundas intenções? Pode ser. Muitos membros da comunidade AITA que leram a história sentiram que o irmão e a SIL estavam tentando sabotar a recuperação da mãe e o relacionamento com seu filho. Alguns outros especularam que o casal poderia até estar fazendo isso para recuperar a custódia da menina.

Estabelecer limites claros com as pessoas que você ama e que se preocupam com você raramente é divertido. No entanto, é absolutamente essencial para relacionamentos felizes e saudáveis. E tudo começa com uma conversa calma, mas honesta, sobre como o comportamento de alguém faz você se sentir e por que você precisa que essa pessoa o respeite tanto quanto você a respeita.

Tente ver o ponto de vista deles. Ouça-os. Tente procurar compromissos. Mas, no final das contas, você precisa ser direto e assertivo sobre como o relacionamento precisa ser daqui para frente. Alguém que constantemente ignora seus limites não o respeita, mesmo que (provavelmente) tenha boas intenções. Se as coisas não estiverem avançando, considere conversar com um terapeuta – seja pessoalmente ou em grupo. Não é sinal de fraqueza pedir conselhos.

O que acharam da história, queridos Pandas? Quem você acha que estava errado? O que você teria feito se estivesse no lugar da mãe? Como você acha que a mãe e a filha estão agora? Compartilhe seus pensamentos nos comentários.

Veja como alguns outros leitores reagiram à situação intensa


[kk-star-ratings align="center" reference="auto" valign="bottom"]