Inteligência Artificial mostra como a mudança climática afetará nossas cidades; veja imagens

Foto: Reprodução | Inova Social

Se você esteve nas redes sociais nos últimos dias, provavelmente foi “digitalmente impactado” por representações artísticas de fotos de seus amigos, criadas por uma inteligência artificial – geradas através de um aplicativo para iPhone.

A verdade é que, muito antes do aplicativo viralizar recentemente, a habilidade de uma máquina criar imagens a partir de um banco é algo que vem nos fascinando há algum tempo – o Dall-e 2, por exemplo, foi criado por um grupo de pesquisa financiado por Elon Musk e conta com uma base de dados de 400 milhões de arquivos, imagens e textos. Além de ser uma experiência até que divertida, já existem até mesmo NFTs que foram vendidos com imagens criadas por essas máquinas, gerando um faturamento de mais de US$ 40 mil.

Mas, além dessas funcionalidades, o que uma inteligência artificial que cria imagens pode fazer relacionado a inovação social? Talvez o projeto a seguir possa nos dar uma boa ideia.

Os especialistas em energia verde da USwitch usaram inteligência artificial para visualizar como seria o mundo em 2100. A equipe usou o Midjourney, um software de IA que cria imagens a partir de descrições de texto, para representar visualmente os melhores e piores cenários de qual forma poriam tomar 20 pontos famosos em todo o mundo nos próximos 80 anos. Esses lugares incluem Rio de Jandeiro, Amsterdã, Londres, Nova York, Tóquio, Toronto e muito mais.

A equipe da USwitch trabalhou em colaboração com o professor Sam Fankhauser, diretor de pesquisa da Universidade de Oxford Net Zero, para analisar dados de emissões de vários setores para entender como todos os países podem atingir emissões líquidas zero até 2050 (isso significaria que as emissões que produzimos não excedem as quantidades que não podemos remover da atmosfera).

Eles também usaram o último relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) para identificar como as mudanças climáticas afetarão cada país. A partir dessas análises, descobriu-se que algumas das principais ameaças a cidades famosas incluem níveis extremos de poluição, inundações severas e temperaturas crescentes que, consequentemente, dão origem a incêndios florestais ou secas.

As imagens geradas pelo computador do projeto mostram dois cenários para cada uma das 20 cidades. A primeira imagem mostra como cada cidade pode ficar se não fizermos as ações necessárias para aliviar os efeitos das mudanças climáticas. A segunda é mais positiva e mostra como as cidades poderiam ser se os países finalmente alcançassem suas metas de emissões líquidas zero.

No geral, as comparações de imagens de inteligência artificial da USwitch entre os cenários de melhor e pior caso para 2100 são úteis para visualizarmos o dano catastrófico que nossos hábitos climáticos insustentáveis podem causar no futuro. Os céus claros e as paisagens urbanas verdes das imagens que retratam os melhores cenários devem ser nossos objetivos no futuro.

Confira as imagens a seguir.